sexta-feira, 26 de setembro de 2008

A razão...


A vida é repleta de interesses. E não se tratam de interesses alheios ou supérfluos: é uma busca eterna de interesses que nos torna cada vez mais especiais e únicos. É a busca de interesses pessoais, que nos identificam como seres humanos não ordinários, mas capazes de mudarmos pelo menos um ponto na vida de alguém, que os faça refletir sobre sua existência, que digam para si o quanto são maravilhosos a ponto de aproveitar cada segundo de sua vida aqui neste plano astral.

E o que fazemos para conseguir este objetivo raro? Pergunto o que está realmente ligado entre você e a humanidade para que você sinta e faça diferença? Que passos têm caminhado para que busque a sua felicidade? Que caminhos e decisões importantes tomaste em sua vida, para quando olhar no espelho da verdade dizer para si: sim, estou satisfeito!

E a definição de felicidade é relativa para muitos (como muito bem explicado disse o meu amigo Marcelo Cassiano). O que cada um procura é distinto, dependendo da vontade e necessidade suprema. Entram as satisfações temporárias, plenamente materiais: compra de bens, conquistas supérfluas, fantasias ilusórias que somente servem tão somente para enganar a si próprio, sendo feliz por um mísero curto espaço de tempo!

E nesses intempéries começamos a fazer de tudo em nossas vidas: estudamos, trabalhamos, nos ocupamos cada vez mais com tarefas justamente para que torne razoável a nossa existência, para preencher esta lacuna, este vazio, como se fosse uma justificativa plausível para dizermos a nós mesmos quem somos! Invertemos nossas ações: deixamos de procurar em nós mesmos a felicidade e passamos a nos encontrar somente naquilo que vemos, sentimos e tocamos.

Irônico! De tempos em tempos, preocupamos mais com o que os outros falam de nós, do que nós mesmos! Escapa, cada dia assim, uma parcela que trazemos dentre de nós. Perdemo-nos no meio da banalidade. E a escuridão e a tristeza, voltam e criam parcela de culpa em nossos corações, sempre perguntando o que fizemos de errado.

Para mim, esta busca de felicidade, de estar e sentir completo abrange muitos fatores: Deus, minha família, meus verdadeiros simples e poucos amigos que habitam meu coração e me apóiam nos momentos de minha vida, meus três esportes prediletos (bike, academia e caminhadas) e, é claro, as fotos!

As fotos é parte de minha vida pessoal, familiar e profissional. Elas sempre andaram comigo lado-a-lado como a justificativa simples do registro de momentos de minha vida, de minha existência, bem como daqueles que estavam ao meu redor. Engraçado é que sempre falo para meus amigos que no plano espiritual levamos as memórias, os momentos bons e mesmo os ruins que nos serviram de crescimento de nossa personalidade modificada pelos acontecimentos terrenos e, quanto ao plano material, as fotos! Elas são eternas! Pelo menos, até que não haja outro holocausto tanto pelo mundo quanto pelos nossos futuros herdeiros que deixaremos!

É uma válvula de escape, um momento de reflexão, um pensamento, um olhar focado pela objetiva que justifica cada segundo, cada momento, como se estivéssemos integrados no ambiente. A máquina nos faz perceber a interação entre homem-natureza e justifica todas as nossas dúvidas, nossas crenças, esperanças e sonhos antes nunca atingidos.

A “razão”, a “justificativa” e o "porque" do início deste blog é este: demonstrar para vocês os momentos de minha vida, a beleza da natureza, a importância dos amigos da família e das simples coisas que nos rodeiam, tudo transparecidas pelo registro das imagens em fotos. Elas não demonstram somente uma imagem, mas sim o que estamos pensando naquele exato momento de nossa vida. Fotos por fotos são meramente banais. Fotos existenciais são únicas, irreparáveis e intocáveis.

É a exteriorização da felicidade...

É meu presente...

É minha herança, que justifica a minha existência e marca os corações daqueles que fizeram, faz, e farão diferença em minha existência terrena.”

Do autor

2 comentários:

Celsao disse...

MEU IRMAO Texto mto lindo e mto profundo so quem tem a mente aberta e certa sensibilidade como vc pode transmitir tao bem essas emoçoes em forma de palavras .

Obrigado pela bela msg

Pri Ruy disse...

Querido...

Sou cada vez mais sua fã...te admiro cada vez mais...
Você certamente faz TODA DIFERENÇA!!!
Parabéns pelo lindo texto e pelo blog, tá muito bom!!!!

Beijo!!!!