segunda-feira, 3 de maio de 2010

A Travessia e a Fé...

Quais os motivos que impedem você de realizar suas vontades? Medo? Insegurança? Proibições? Tempo? Dinheiro? Vontade? Sabedoria? Audácia?

O que realmente nos impede?

As supostas barreiras ou pretensões escritas ou as que você pensou, provavelmente são frutos de sua própria criação. Os impedimentos e os entraves que deixam você à mercê do cotidiano são fatores justificados por falta de planejamento e interesse, deixando ao destino as escolhas de seus caminhos. Nós, seres pensantes, temos o poder de ditar nossas próprias regras e caminhar com nossos passos pelas nossas escolhas, mas basta um pequeno deslize para que tudo seja levado ao acaso, ao esquecimento e a letargia.

O grande problema disso tudo, especialmente quando entramos em uma fase de nossas vidas ligada diretamente às responsabilidades do trabalho, relacionamento e sociabilidade é que não percebemos quanto tempo passou e o que efetivamente concretizamos neste espaço de tempo.

Somos obrigados a aceitar uma rotina diária capitalista, fadada totalmente a nossa sobrevivência física primária. Desde pequenos aprendemos a ler para sermos educados a estudar, quando então crescermos e nos formarmos para nos transformarmos em um profissional totalmente habilitado e capacitado, justamente para “ganharmos” um suposto dinheiro para sobrevivência física e nada mais.

Acabei percebendo que a base de “troca” de favores e de pretensões que sustentavam a nossa sociedade passada não existe mais de forma tão intensa. Não vemos hoje as trocas de pensamentos, de experiências e de favores. O mundo entrou em um ciclo tão inverso que é quase impossível se comunicar com alguém sem que este mencione o tópico “trabalho” na conversa. Tão infeliz esta verdade é que a base primária dos estudos do conhecimento do ser humano foi meramente esquecida. Conversamos mais com “seres-máquinas” do que com seres humanos. Deixamos de ter o contato, o feeling e a humildade de abraçarmos a nós mesmos, na vaga esperança de encontrarmos no ciclo capitalista a resposta para nossas perguntas.

Mas o tempo não para! Dias, meses e anos são vistos em flashes mundanos de nossa tão fadada história. O psíquico, fruto de nosso ser, foi esquecido e muito pouco aprofundado na formação da personalidade do ser humano.

Não se estuda o “porque” de nossa origem. Nenhum professor ensina a “razão” da vida. Ninguém explica o verdadeiro “propósito” da existência do ser humano ou quais são nossas importâncias e nossos ideais. Pela imensidão da vida é impossível resumi-la em nascer, crescer, estudar, formar, sobreviver, envelhecer e morrer. De mais a mais, se toda nossa batalha para conquistas foi meramente vã, nosso ideal de existência cai por terra por supostas teorias passadas diretamente por terceiros, sem vivência própria.

Há elos paralelos mais importantes, bem mais surreais do que estes que presenciamos rotineiramente. Dependendo do grau de evolução de cada ser humano e da pesquisa na busca de respostas alternativas, é possível enxergar um lado mais belo da vida, mais completo e cheio de razão que nos leva a uma construção da evolução própria para dissipação de toda esta energia acumulada em atos, fatos, realizações, preponderâncias válidas e criativas.

Chaves para esta história estão diretamente ligadas ao miolo da percepção humana. Sabendo que o ser humano é totalmente limitado pelo estado evolutivo em que se encontra, há de convir que existam respostas para perguntas que estão além do entendimento da ciência. Raciocínio lógico ao anterior se há estas restrições, há razões para não entendermos e descobrirmos o tudo. Somente o necessário nos é revelado e basta a cada um de nós, com sua sensibilidade, paciência e perseverança construir e coletar o máximo de informações sensoriais para si, construindo um ninho fadado de informações valiosas no campo espiritual.

Não há escolas nem egrégias fundações que nos ensinam como ter Fé, como sentir a Fé e como demonstrar a nossa Fé. Não há regras para isso, por mais que elas nos sejam apresentadas através de supostas teorias. A cada qual cabe esta descoberta pelo caminho natural da vida, seja de uma maneira simples ou mais serena. É através da Fé que são traçadas nossas realizações espirituais e materiais.

Posso ser até pretensioso demais, mas temo em dizer que a Fé é a razão de nossa intuição na qual demonstra os caminhos corretos as quais devemos seguir. Um homem sem Fé é definitivamente um homem sem razão. Um homem sem Fé está fadado à eterna estagnação.

Nunca importarão os meios para que você demonstre e extrapole sua Fé. É com ela que nos descobrimos, que justificamos nossos limites, onde ponderamos o que é certo e o que é errado bem como quais os motivos que permeiam nossa existência aqui, neste plano astral. Quando convivemos com pessoas com o interesse único da evolução, rodeados de luz e paz, somos norteados por sentimentos que ditam respeito, sabedoria e compaixão. A partir do momento que este respeito mútuo entre pessoas é notado, estas estarão desembaraçadas de qualquer entrave. Serão livres para concretizar qualquer sonho almejado e perceberão que a matéria é tão somente um acessório do principal, mas nunca, absolutamente nunca o contrário.

O passeio...

As fotos bem como a confecção do vídeo foram frutos da famosa Travessia Petrópolis a Teresópolis, no Estado do Rio de Janeiro. Acompanhados de nossas mochilas e de nossa Fé, fomos rumo a cidade sede de Teresópolis dar o início de nossa aventura. Dividida em três partes, a Travessia é conhecida como uma das mais belas de nosso Estado Brasil. Ditada pelas regras da mãe natureza fomos obrigados a não percorrer todo o caminho, realizando tão-somente um terço do passeio. Subimos até os famosos Castelos do Açu, a mais de 2.200 metros de altitude em relação ao nível do mar, onde nos abrigamos daquela chuva no fim de tarde e do frio que nos aguardava naquela madrugada.

Fizemos muitas amizades e trouxemos as experiências vividas junto com nossa bagagem de mais de vinte quilos que carregamos por aquelas montanhas intermináveis. Vimos cenas totalmente impossíveis de descrevê-las e que nunca serão esquecidas. A energia da natureza foi tão intensa, tão marcante, que os vales, cachoeiras, nuvens serão dignos de eternos aplausos e de agradecimento.

A nossa benção e o grande triunfo naquela manhã de sexta-feira foram registradas em detalhes. Um grande abraço aos amigos Celinho, Vadico e Marcelo pela companhia. Se há momentos na vida que valem a pena, posso dizer de coração que este não foi “mais um”, mas foi “O” momento. Tenho somente gratidão pelo passeio e dizer que a saudade que deixamos plantada naquelas montanhas certamente nos levará de volta aquele maravilhoso lugar.

As fotos...
01. Veja todas as fotos e descrições no servidor do flickr, em alta resolução clicando AQUI ou em qualquer foto acima deste post.
02. Outra opção é clicar no play abaixo e conferir o slideshow, porém sem as descrições e em resolução reduzida.

O vídeo...
See more at Vimeo and Flickr. Do it!

8 comentários:

Eduardo disse...

Fazer o que qdo Deus lhe dá um dom...........Aproveitá-lo!!!!! Mais uma brilhante leitura....

Um abraço
Amigo!

Eduardo Correia

Udo Matiello disse...

Obrigado meu querido amigo! Agradeço por você fazer parte deste ciclo de amizades que impulsiona sempre a fazer mais e mais! Um grande abraço! :)

Celsao disse...

Que delicia heim ...
Logo teremos um novo programa na TV chamado, Na Trilha , trip e aventuras com Udo.

Parabens pelas imagens abrax

Udo Matiello disse...

Celsão! Só se no programa você for o entrevistador! rs... Obrigado pelos comentários meu irmão! Indiretamente você ajudou muito! :) Abraços!

Alini disse...

Lembra do que eu te disse ontem não?
Um texto que mostra a realidade oculta a nossa volta, oculta por nós mesmos que insistimos em não exergar muitas coisas maravilhosas que voce enxerga, vai além e nos transcreve com suas singelas e apropriadas palavras! Arrasou mais uma vez!
Obrigada pela luz, aprendizado e paz que sua companhia me traz.

beijão meu amor!

Udo Matiello disse...

Alini! Só tenho de agradecer por sua compreensão de todas as atividades que faço. Sem isso, nada disto seria possível. Dar para receber, este é o segredo, sempre!

Paz e luz no seu coração!
Beijos e obrigado pelo lindo comentário!

Elisabeth disse...

Querido Udo
Engraçado, não lembro de termos, algum dia conversado assuntos interessantes e profundos como o que eu acabei de ler, agora.
Posso lhe dizer, entretanto que seus pensamentos são bem parecidos como os meus.
Digo a você que muitas das vezes me vejo observando o ser humano do alto de uma montanha...
Beijos carinhosos
Parabéns
Beth

Udo Matiello disse...

Tia!
Obrigado pelo comentário e pela visita no blog! Que bom que gostou!

"É no alto que somos capazes de enxergarmos pequenos defeitos...."

Sempre quando tiver novidades envio ok?
Beijos e ótima semana!