sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Caminho da Fé: 1º Dia... (SJBV - Ouro Fino)

Caminho da Fé: Dia 1
Data: 22.junho.2010 – terça feira
Partida: São João da Boa Vista/SP
Chegada: Ouro Fino/MG
Detalhes marcantes: a triste, mas necessária, despedida de nosso querido amigo Gabriel Penha na Pousada do Pico do Gavião, em Andradas/MG; a subida para a Serra dos Lima; o sentir do ‘friozinho’ na barriga pela peregrinação iniciada e o que ainda estava por vir; o sofrimento pela seca, pelo calor e pelo pó; o vencimento do cansaço das subidas marcantes para a cidade de Crisólia, em Minas Gerais; a chegada, já a noite, em Ouro Fino; a instalação na maravilhosa e aconchegante pousada; a suculenta pizza de janta e do brigadeiro de panela!

Junho foi o mês escolhido por mim, Tomezinho, Jorge Dornellas e Gabriel Penha para completarmos, mais uma vez, o glorioso Caminho da Fé.

Depois de muitos dias de planejamento para arrumarmos os dias e dividirmos nosso caminho pelos Estados e cidades de São Paulo e Minas Gerais, decidimos aproveitar a semana do feriado do aniversário da cidade de São João da Boa Vista que caiu no dia 24 de junho de 2010 (quinta-feira) para realizar nossa peregrinação rumo a Aparecida do Norte.

Ao contrário de outros participantes desta mesma modalidade, tínhamos em mente que todo o trajeto seria percorrido da melhor maneira possível. Para isso estendemos os dias de 5 planejados para 6 dias. Isso mesmo, quase uma semana de folga. Fazendo desta maneira teríamos tempo de sobra para realizar trechos curtos entre uma cidade e outra, aproveitaríamos ao máximo o que todo este trajeto pode nos oferecer em termos de interação com a natureza, meditaríamos tranquilamente e não teríamos a preocupação com o horário de chegada, nosso principal inimigo.
Pedalaríamos nestes seis dias com um rumo certo, traçado e objetivado, mas sem qualquer tipo de preocupação. Tínhamos um único aliado: o tempo. E posso dizer a vocês, caros leitores, que o aproveitamos, e aproveitamos da melhor maneira possível.

Alguns amigos deste grupo formado já tinham realizado este Caminho, mas mesmo para estes única certeza era a de que nunca saberíamos o que encontrar em cada quilômetro rodado. A certeza era justamente a incerteza, acredite se quiser... O que nos impulsionava a cumprir cada trecho era justamente o desconhecido. Era esta a nossa motivação e era isso que nos alimentava para sempre seguirmos em frente, seja pela força, pela insistência ou mesmo pela Fé que cada carregava e respeitava em todos os momentos.

Emocionamos muito! Sentimos nossos corações totalmente realizados pelas belezas que nos eram postas em prova por nosso querido Deus. Sentimos orgulhosos de estarmos vivos e de podermos compartilhar destes momentos com amigos tão especiais que estavam conosco.

Demos valor ao mínimo e sacramentamos que é deste mínimo que vivemos. Percebemos que não é preciso muito para sermos efetivamente felizes. Esta foi a grande lição. O Caminho serviu para abrir nossos olhos a uma realidade que esquecemos pelas atividades cotidianas, de nosso dia-a-dia. Fomos levados novamente de volta às nossas origens de uma forma simples e totalmente humilde. Tornamos humanos quando demos nossas mãos em momentos especiais, quando rezamos pelos nossos entes queridos, quando sentimos o arrepio do dever cumprido e quando as lágrimas escorriam por nossa face, sem medo, sem vergonha e sem pudor.

Nossa obrigação era de demonstrar as pessoas que estavam ao nosso redor um pouquinho só do que sentimos, fazendo com que elas também deem o respectivo respeito e valor aos mais simples e belos sentimentos. Esperamos com isso não a mudança da personalidade de cada um, mas pelo menos uma grandiosa satisfação de orgulho, de expressão, de compartilhamento e da atividade mútua entre os seres humanos e estes com a natureza.

Tentamos despertar que somos parte de um todo e que esta interação deve ser inevitavelmente equilibrada para que nós, invariavelmente, sejamos banhados em saúde, prosperidade e paz.
E caro leitor(a)... como valeu a pena todo o nosso sofrimento! Todas aquelas pedaladas, todo aquele esforço, todo aquele suor... nada, absolutamente nada foi em vão. Foi maravilhoso percebemos muitos sentimentos nestes mais de 350 quilômetros rodados. E no meio de tanta inquietude que guardamos em nosso saco de responsabilidades, conseguimos naqueles dias extrapolar uma mente sã, repleta de compaixão e equilíbrio. Um mundo visto por outros olhos.

Não vou ditar aqui todos os acontecimentos nem os infortúnios, paisagens e demais detalhes que passamos. Deixarei que vocês tomem conhecimento através de duas formas: primeiro pelas lembranças que guardamos através das fotos; e, segundo através dos vídeos que gravamos onde estão alguns dos inúmeros movimentos que desfrutamos. Unidos formarão um todo que não exprimirá toda a felicidade que sentimos, nem tão pouco expressará o verdadeiro significado ou do ato da peregrinação ou mesmo do Caminho da Fé.

A isso, caros(as), cabem a vocês mesmos descobrirem no momento, no tempo e na hora que acharem mais conveniente para a vida e alma de vocês. Estejam cientes que este momento será singular e que reservará muitas novidades, repletas de alegrias e satisfações até então nunca experimentadas! Estejam com os corações abertos para as oportunidades e para as novidades que lhe são apresentadas, sempre!

Gostaria de agradecer aos meus queridos amigos participantes Rafael Alves Tomé, Jorge Luis Dornellas e Gabriel Penha pela grandiosa companhia nestes maravilhosos dias. Obrigado pela força, pela paciência, pela garra e indiscutível determinação! Todos vocês foram vencedores! Estão de parabéns por esta conquista única! A mistura de personalidades foi totalmente coerente e só serviu para nos conhecermos e unirmos como verdadeiros amigos e irmãos, no sentido estrito da palavra. Sem vocês nossos sonhos não teriam saído do papel e absolutamente nada disso teria acontecido. Mais uma vez, obrigado!

Não poderia esquecer de agradecer aos nossos queridos familiares que participaram, efetivamente, nos dois últimos dias de peregrinação. Foi muito emocionante encontrar vocês nestes dias, alimentando nossos corações de esperança e de amor, fatos estes que somente vocês são capazes de dar. Sentimos isso na flor da pele quando abraçamos vocês naquele aconchegante lar em Campos do Jordão. Foram marcantes todos nossos encontros e eles ficarão gravados pela eternidade em nossos corações! Muito, mas muito obrigado por tudo!

Somos eternamente gratos também aos queridos amigos que ficaram em São João da Boa Vista, torcendo efetivamente e mandando energia positiva. Nosso presente para vocês foram as inúmeras orações ofertadas durante todo o maravilhoso caminho. Que suas almas e de seus familiares sejam abençoados por Deus pela eternidade!

As Fotos...
01. Veja todas as fotos no servidor do flickr e em alta resolução clicando em qualquer foto acima deste post.
02. Mais comodidade em tela cheia via slideshow e alta resolução? Opte clicando aqui.
03. Simples e conciso? Clique no play abaixo e conferir o slideshow das fotos em miniatura.

O Vídeo...

Veja a trilha...
Conheça todos os detalhes e principais pontos da trilha clicando aqui.

Um comentário:

Celsao disse...

Belo video meu irmao muitissimo bem feito e emocionante .
TO aki ancioso pra ver os outros .
Gde abrax cum Deus